logo - WhatsApp

Esquizofrenia

Entre em Contato

Esquizofrenia caracteriza-se por uma grave desestruturação psíquica, em que a pessoa perde a capacidade de integrar suas emoções e sentimentos com seus pensamentos, podendo apresentar crenças irreais (delírios), percepções falsas do ambiente (alucinações) e comportamentos que revelam a perda do juízo crítico.

A Doença

A doença produz também dificuldades sociais, como as relacionadas ao trabalho e relacionamento, com a interrupção das atividades produtivas da pessoa. O tratamento envolve medicamentos, psicoterapia, terapias ocupacionais e conscientização da família, que absorve a maior parte das tensões geradas pela doença.

A esquizofrenia não tem cura, mas com o tratamento adequado a pessoa pode se recuperar e voltar a viver uma vida normal.

Os antipsicóticos possuem eficácia inquestionável nas fases agudas da esquizofrenia, reduziram drasticamente as internações psiquiátricas e permitiram a convivência dos pacientes na sociedade e junto às suas famílias. Contudo, os sintomas negativos e cognitivos, obstáculos para que muitos possam viver uma vida produtiva e independente, mudaram pouco com os medicamentos atuais.

Tratamento Psicossocial:

O tratamento psicossocial, também conhecido como reabilitação psicossocial, procura melhorar esses sintomas e resgatar a autonomia, a individualidade e a capacidade de socialização e relacionamento dessas pessoas.

Atividades:

através de atividades terapêuticas que misturam arte, leitura, trabalhos manuais, música, atividades físicas, reflexões e debates sobre a doença. O programa deve ser individualizado, levando-se em conta o potencial e as limitações de cada um. O treinamento de habilidades específicas ou o aprendizado de um ofício também pode e deve ser estimulado, visando uma atividade produtiva ou mesmo um trabalho no futuro.

Sintomas:

Os comportamentos que podem ser sinais precoces de Esquizofrenia são:

  • ouvir ou ver coisas que não existem;
  • sentimento constante de estar sendo vigiado;
  • maneira de falar ou escrever que é peculiar ou que não tem sentido;
  • posições corporais atípicas;
  • sentir-se indiferente em situações importantes;
  • deterioramento da capacidade de estudar e trabalhar;
  • mudanças da aparência ou da higiene corporal;
  • mudança de personalidade;
  • aumento do isolamento de situações sociais;
  • incapacidade de concentrar-se e dificuldade para dormir;
  • comportamento inapropriado ou inadequado;
  • preocupação extrema com temas religiosos ou de misticismo;

Os sintomas podem se desenvolver lentamente durante meses ou anos ou podem aparecer repentinamente.